Conta de luz da Olimpíada pode cair no bolso do consumidor

2016-902773495-2016-902650656-image004_20160413_20160414O consumidor do Rio deve preparar o bolso já que poderá arcar com parte da conta de energia da Olimpíada. A Light pediu um reajuste extraordinário, que está sob análise técnica da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), levando em consideração gastos com fornecimento dos Jogos Olímpicos, como informou o jornal “O Globo”. A concessionária informou que o impacto na tarifa deverá ser da ordem de 2%, mas o valor dependente de autorização da Aneel. Deste valor, 14,4% ficariam com a empresa, e o restante cobriria custos não-gerenciáveis, como encargos e impostos.2016-902773495-2016-902650656-image004_20160413_20160414

Nos bastidores, especula-se uma queda de braço entre a Aneel e a Light, que têm mais de quatro milhões de clientes, em 31 municípios do estado. Enquanto a empresa alega que foram investidos R$ 436,1 milhões para garantir o fornecimento na Rio 2016, o governo diz que repassou R$ 234,7 milhões para que a empresa não repartisse a fatura com o consumidor. O montante é metade do que a concessionária diz que investiu. Além disso, a Light argumenta que este valor cobriu gastos com energia temporária, e que, no pedido de reajuste nas contas, só há cálculos com o que saiu do caixa da empresa, sem repasse do governo.
Segundo a Light, este volume de investimento só seria feito em 2020, mas foi antecipado para a realização do evento. Na prática, o dinheiro da União já saiu dos consumidores de todo o país, por meio de um encargo chamado Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Não há data para a apreciação do pedido na Aneel.
 Extra
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.