Sessão da Câmara de Cuitegi é cancelada por falta de quórum




Pressionados pela repercussão negativa da denuncia do Vereador de oposição Vivaldo Luis de França sobre o sumiço de mais de 1 milhão de Reais da Previdência, a maioria dos vereadores não compareceu à sessão ordinária da Câmara Municipal de Cuitegi, fazendo com que a plenária fosse cancelada por falta de quórum. Além do presidente da casa, Willame Lima compareceu, os vereadores Vivaldo Luis de França, Marivaldo Moura e Delma Amorim, o Vereador Zé da Padaria Justificou a falta devido a problemas de Saúde os demais vereadores não justificaram a falta e nem se pronunciaram sobre o assunto.


Na ultima sessão do dia 08/04, o Vereador Vivaldo Luís de França – PPS usou a tribuna da Câmara Municipal de Cuitegi para denunciar um rombo de 1 milhão de reais na Previdência dos servidores de Cuitegi. Segundo o parlamentar, o déficit ocorreu durante o mandato do atual Prefeito, já que os administradores atuais encontraram o Instituto de Previdência com um montante de 3 milhões de reais em caixa e que agora o fundo financeiro do Instituto dispõe de apenas 2 milhões de reais. O Vereador fez comparações com outros institutos a exemplo de Alagoinha e Guarabira, salientando que ambos apresentaram crescimento continuo durante os anos de 2009 a 2015, o que não ocorreu em Cuitegi, pois as quedas constantes são visíveis e preocupantes. O IPMC – Instituto de Previdência do Município de Cuitegi é órgão responsável pela aposentadoria dos servidores efetivos da Prefeitura, recolhendo mensalmente contribuição de todos os servidores para fazer caixa e posteriormente garantir a aposentadoria dos seus trabalhadores. Mas, segundo o Vereador, o IPMC pode acabar quebrando devido as vultosas retiradas de dinheiro sem as devidas reposições. Um relatório do Parlamentar monstra que em 2012 o IPMC dispunha de 3 milhões de reais, passando para 2,6 milhões em 2013, 2,3 milhões em 2014 e apenas 2 milhões em 2015. Essa perda corresponde a 1 milhão de reais, ou seja, a 33% de todo o capital existente no Instituto, sem falar nos juros e contribuições do funcionário e do patrão ao longo de três anos que deveriam ter se somado aos 3 milhões existentes. O Edil pediu explicações da administração e se comprometeu a procurar os órgãos competentes para dar-lhes ciência desse fato lamentável e vergonhoso que está ocorrendo em Cuitegi. E acrescentou: “Espero que o instituto volte a crescer, mas isso só será possível com um administrador de coragem, verdadeiro e compromissado com o povo cuitegiense. Porque com mentiras e falácias a realidade é a que estamos vendo ai”


POR MANOEL NETO
DA REDAÇÃO : PORTAL CUITEGI
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.