O ano de Lucy Alves e Zé Catimba

lucy
Penúltima escola a desfilar pelo Grupo Especial, a verde e branco de Ramos fez uma homenagem a Zezé Di Camargo e Luciano e à música sertaneja. Os filhos de Francisco vieram no alto do último carro com as cores da Imperatriz Leopoldinense.

O samba-enredo foi puxado por Marquinhos Art’Samba e contou com o apoio da cantora e sanfoneira paraibana Lucy, ex-participante do ‘The Voice’. Zé Catimba, paraibano de Guarabira, o único fundador da escola vivo quis homenagear a conterrânea.

O samba com os versos “É o amor” e “Sou brasileiro, caipira Pirapora” ajudou a empolgar os 3.200 componentes e chamou a atenção ao ser executado com acordes de sanfona. A escola saiu da Sapucaí ouvindo gritos de “A campeã voltou”.

Oito vezes campeã do carnaval do Rio, a Rainha de Ramos conquistou seu último título em 2001. Em 2015, a Imperatriz ficou em 6º lugar.

O carnavalesco Cahê Rodrigues se inspirou assumidamente no filme “2 filhos de Francisco” para compor o enredo “É o amor… que mexe com minha cabeça e me deixa assim… Do sonho de um caipira nascem os dois filhos do Brasil”.

Além de contar a trajetória de vida e musical da dupla, a Imperatriz abordou a vida do homem do campo, o universo caipira e reuniu nomes como Chitãozinho e Xororó, Paula Fernandes e Alexandre Pires.

O desfile teve ainda a participação dos atores Dira Paes e Ângelo Antonio, que vivem os pais da dupla no filme.

A bateria de mestre Lolo deu show fazendo diversas bossas e paradinhas e trouxe a atriz Cris Vianna como rainha. A inovação, porém, veio pelo som de sanfona.

Com G1
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.