Abismo financeiro: Treze tem 13% da receita do Campinense

bola
Um abismo separa a dupla Botafogo-PB e Campinense do rival Treze para temporada 2016. Além das competições a mais que terão para disputar no primeiro semestre, um fator primordial originado por elas, contribuem para uma disparidade gritante entre a dupla e o Alvinegro de Campina Grande. O financeiro.
Entre cotas de participações da Copa do Nordeste e Copa do Brasil e o repasse do novo formato do programa do Governo Estado “Gol de Placa”, que favorece os finalistas do Campeonato Paraibano da edição anterior com maiores repasses, é possível calcular a receita mínima que cada clube vai arrecadar na próxima temporada. O levantamento não traz as cifras obtidas com outras fontes de receita, a exemplo de patrocínio, bilheteria, sócios etc.
Com a Série C garantida no segundo semestre e um aumento superior a 40% na cota de participação da Copa do Nordeste, o Botafogo-PB detém a maior receita do Estado. A injeção é de R$ 1,7 milhão, podendo aumentar, de acordo, com o desempenho no Nordestão e na Copa do Brasil.
Não muito distante, o Campinense, que vai buscar no estadual uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro, para se manter vivo no segundo semestre, conta com R$ 1,3 milhão para os primeiros cinco meses do ano, a princípio.
A situação mais delicada é a do Treze, que de garantia só tem o Campeonato Paraibano e terá de se reinventar para gerar novas receitas. Com apenas o estadual no calendário, o Galo vai abocanhar somente o repasse do “Gol de Placa”, que é de R$ 178 mil por ter sido o terceiro colocado na edição passada do estadual. A quantia, para se ter ideia, representa apenas 13,69% do montante de seu arquirrival, o Campinense.
Ainda sobre o “Gol de Placa”, o classificado para Série D de 2016, recebe um Plus de pouco mais de R$ 75 mil pela participação na competição nacional.
Quanto ao Campeonato Paraibano, organizado pela Federação Paraibana de Futebol, nenhuma cota de premiação ou participação entrou em pauta.
Veja a receita mínima dos três grandes para 2016:
Botafogo-PB
Copa do Nordeste: R$ 505 mil (1ª fase)
*Copa do Brasil: R$ 200 mil (1ª fase)
Série C: passagens e hospedagens pagas
*Gol de Placa: R$ 269.353,00 (Paraibano); R$ 146.275,00 (Nordestão); R$ 153.326,00 (Copa do Brasil); R$ 426.854,00 (Série C). Total: R$ 995.808,000
Total: R$ 1,7 milhão
CampinenseCopa do Nordeste: R$ 505 mil (1ª fase)
Copa do Brasil: R$ 200 mil (1ª fase)
*Gol de Placa: R$ 321.587,00 (Paraibano); R$ 146.275,00 (Nordestão); R$ 153.326,00 (Copa do Brasil). Total: R$ 621.188,00
Total: R$ 1,3 milhão
Treze*Gol de Placa: R$ 178.000,00 (Paraibano).
Total: R$ 178 mil
*Cálculo com valores de 2015, já que as cifras de 2016 ainda não foram reveladas.
MaisPB
Maurílio Júnior
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook