Moradores protestam contra fechamento de hospital e bloqueiam PB-073 pela segunda vez

Moradores protestam contra fechamento de hospital e bloqueiam PB-073 pela segunda vez

Rodovia foi bloqueada pelos moradores (Foto: Reprodução/Facebook)
Rodovia foi bloqueada pelos moradores (Foto: Reprodução/Facebook)
Contrários a medida adotada pelo Governo do Estado que faz com que o Hospital Distrital de Belém, deixe de ser hospital e passe a funcionar apenas como Unidade de Pronto Atendimento, e as demissões que aconteceram, os moradores da cidade bloquearam a PB-073, na manhã desta quinta-feira (05). Essa é a segunda vez que a rodovia é bloqueada em pouco mais de duas semanas.

Com a decisão, chega ao fim as cirurgias e outros atendimentos mais complexos no hospital, que atende ainda moradores de Caiçara, Logradouro, Tacima, Bananeiras, Serra da Raiz.

O primeiro protesto aconteceu no dia 15 de outubro. Os moradores de Belém e região fecharam os trechos da PB-073 que dão acesso as cidades de Pirpirituba e Belém e de Tacima a Belém. Após acordo, os trechos foram liberados. No entanto, segundo os manifestantes, o acordo não foi cumprido e, por isso, eles voltaram a fechar a pista nesta quinta-feira.

Dias depois do primeiro protesto, o Secretário Executivo de Comunicação da Paraíba, Célio Alves, utilizou a Rádio Rua Nova 87,9 FM de Belém, para esclarecer as razões que levaram o Governo do Estado a demitir funcionários do Hospital Distrital de Belém e a fazer mudanças na unidade. Segundo ele, o objetivo do Governo é coibir o uso indevido da unidade, que chegou a admitir que uma ex 1ª dama do município recebesse vencimentos sem nunca ter atendido a comunidade, entre outras irregularidades.http://www.manchetepb.com/wp-content/uploads/2015/11/

Sobre o funcionamento da repartição, o secretário pontuou que a população deve dar um crédito ao Governo e aguardar as mudanças que no final serão para o bem de todos. Para Célio, não se pode condenar o Estado por antecipação, já que as medidas são na direção da melhoria dos serviços. No tocante ao encaminhamento de casos mais complexos para o Hospital Regional de Guarabira, ele lembrou que isso vem ocorrendo há anos e agora será melhor regulado a partir da nova política de saúde do Governo. O representante do Governo também ponderou que alguns funcionários, que recebiam sem trabalhar ou não cumpriam suas obrigações, serão substituídos por novos quadros, o que garantirá o funcionamento normal dos serviços em Belém.

Até às 08h30, a manifestação acontecia e o trânsito de veículos, com exceção apenas para ambulâncias e viaturas da polícia, estava interrompido. Os líderes do manifesto querem por escrito uma posição oficial da Secretaria Estadual de Saúde.

Manchete PBc
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook