ENQUANTO ALIADOS DE GUILHERMINHO DEBOCHAM, VICE-PREFEITO VÊ PRÉ-CANDIDATURA DE GERALDO COM CAUTELA

A disposição de Geraldo Serafim em disputar o cargo de Prefeito do Município de Cuitegi em 2016, pela oposição, causou antagonismo entre os principais aliados de Guilherminho Madruga. Motivo de deboches por uns, fato de cautela por outros. Enquanto pessoas ligadas ao Prefeito riram da pré-candidatura de Geraldo, Chico Mala – vice-prefeito – afirma que a oposição se fortaleceu com a chegada de Geraldo, e que, inclusive poderá vencer as eleições de 2016, haja a vista o descontrole politico situacionista que foi capaz de manter todos os aliados como em 2012. A mirar pelo que disse Chico, o atual Prefeito terá que rebolar para levar todos os aliados até 2016, pois ao seu lado há três Vereadores do PSDB que dão sustentação a administração na Câmara Municipal. Porém, podem vir a juntar-se a Geraldo no futuro muito próximo, já que ele certamente será candidato pela sigla e goza de boa relação de amizade com os psdebistas, os quais se mostraram bastantes abertos ao diálogo com o recém-pretenso a candidato. Em se confirmando essa previsão, o cenário muda da água para o vinho, o que fortalecerá ainda mais uma oposição, que, segundo aliados do Prefeito, cabia em uma caixa de fosforo. Atualmente a Casa Virgulino Cavalcante de Melo é composta por nove Vereadores: Alexandre Almeida PRB, Delma Amorim PSD, Dida PSDB, Doca PSDB, Marivaldo Moura PSDB, Rosinete Silva PSC, Vivaldo França PSB, Willame Roseno PSB e Zé da Padaria PPL. Desses, a possível recandidatura de Guilherminho conta com o apoio incondicional de apenas dois parlamentares, assim como a oposição conta da mesma forma com apenas dois, restando cinco parlamentares que poderão ser o fiel da balança numa possível disputa entre Geraldo e Guilherminho. Contudo, Geraldo poderá sair na frente devido ao número de parlamentares filiados ao partido do qual fará parte, passando para quatro a três, pois também há filiados do PSB que não comungam com a atual administração. Partes das cotas de apoios parlamentares, os leitores só ficarão sabendo no inicio de outubro, quando terá o corte eleitoral para a filiação partidária. A outra parte só em 2016, durante as convenções partidárias, quando novos rachas ou adesões poderão acontecer para ambos os lados. Até lá, tudo não passa de meras especulações, a não ser com relação aos suplentes e lideranças oposicionistas que já se dedicam a atrair mais adeptos para o PSDB. Caso prático de Raul Meireles, Ivo Roseno, Manasses e D. Dinha cujos nomes já constam da listas de pretendentes ao cargo do executivo municipal.

da Redação
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.