SINTESPB decide paralisar atividades na UFPB e UFCG por 72 horas



Objetivo é pressionar o Governo a acatar a pauta de reivindicações da categoria

Os servidores técnico-administrativos da UFPB e UFCG vão paralisar suas atividades de amanhã até quinta-feira, acompanhando calendárionacional da FASUBRA e de outras entidades representativas dos servidores públicos federais.
O objetivo dessa mobilização conjunta dos federais é pressionar o Governo a acatar a pauta de reivindicações da categoria dos trabalhadores do serviço público, protocolada desde fevereiro, no Ministério do Planejamento.
A decisão da base do SINTESPB em se integrar a esta mobilização com paralisação nacional foi deliberada em assembleias realizadas em todas as Secretarias Sindicais da entidade.
Em João Pessoa, a assembleia foi realizada, na última terça-feira, dia 31 de março, onde também foramapresentadas propostas de programação a ser desenvolvida nos dias de paralisação com a intenção de mobilizar a categoria.
Segundo o presidente do SINTESPB, Severino Ramos, a categoria não vai cruzar os braços, “nós estaremos no front participando ativamente de todas as atividades de mobilização, com a preocupação de mostrar à sociedade o que estamos querendo e nossas razões para lutar”, explicou ele.
Ramos ressaltou ainda que o slogan pátria educadora tem que acontecer de fato e de direito. “Sem cortes no orçamento da Educação e com a valorização dos trabalhadores”, destacou.
Como atividades a serem realizadas, estão o fechamento do Portão do CCHLA, no dia 07, a partir das 07:00 horas e assembleia, no auditório do SINTESPB, às 10:00 horas; uma ação saúde a ser desenvolvida, na Praça dos Três Poderes, no centro da Cidade, prevista para o dia 08, às 09:00 horas. Encerrando a programação dos Dias de Mobilização, um ato público em defesa do HULW, no dia 09, a partir das 07:00 horas, em frente ao ambulatório do HU, em João Pessoa.
Ainda como sugestão e ações a serem desenvolvidas, o SINTESPB deverá promover um debate envolvendo os parlamentares da bancada federal da Paraíba e na oportunidade será entregue a pauta de reivindicações da categoria.
A assembleia convocada pelo SINTESPB aprovou ainda uma moção de solidariedade à greve dos trabalhadores em educação do Município de João Pessoa e do Estado da Paraíba, além de uma nota em defesa da permanência dos médicos cubanos no Brasil.
Abaixo a pauta de reivindicações a ser negociada com o Governo Federal:
01. Política salarial permanente com correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias;
2. Índice linear de 27,3%;
3. Data-base 1 de maio;
4. Direito de negociação coletiva (convenção 151 OIT);
5. Paridade Salarial entre ativos e aposentados;
6. Retirada dos projetos do congresso nacional que atacam os direitos dos
servidores;
7.Aprovação imediata dos projetos de interesse dos servidores;
8. Isonomia salarial e de todos os benefícios entre os poderes;
9. Anulação reforma da previdência realizada através da compra de votos dos parlamentares;
10. Extinção do fator previdenciário;
11. Incorporação de todas as gratificações produtivistas;
12. Fim da terceirização que retira direito dos trabalhadores;
13. Concurso público pelo RJU;
14. Combate a toda forma de privatização;
15. Pela aprovação da PEC 555 que extingue a cobrança previdenciária dos
Aposentados;
16. Pela aprovação do PL4434 que recompõe as perdas salariais
17. Regulamentação da jornada de trabalho para o máximo de 30 horas para o serviço público, sem redução salarial;
18. Pec 170/2012 aprovação de aposentadoria integral por invalidez
19. Liberação de dirigentes sindicais com ônus para o estado, sem prejuízo as promoções e progressões na carreira.

WSCOM Online com SintesPB
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.