Oposição recebe reivindicações de movimentos de rua

Foto: Gerdan WesleyFoto: Gerdan Wesley
Brasília – O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, e dos partidos de oposição receberam nesta quarta-feira (15), no Congresso, uma pauta de reivindicações dos 26 movimentos que foram às ruas em 15 de março e 12 de abril nos protestos contra o governo Dilma Rousseff.

O documento reúne propostas dos manifestantes para o combate à impunidade e à corrupção, e em favor da reforma política, da maior transparência na gestão pública e por mais qualidade da educação. Na carta, os movimentos de rua pedem o resgate da ética e da decência na política e a investigação rigorosa dos escândalos, que envolvem o PT e o governo no uso de empresas públicas em favor do partido.

Aécio destacou que as reivindicações das ruas estão afinadas com a agenda da oposição no Congresso.

“Alguns dos principais responsáveis pelos movimentos, que mobilizaram milhões de brasileiros nas ruas de todos os estados brasileiros, apresentam uma pauta-síntese desses protestos, e esta pauta tem uma enorme convergência com aquilo que a oposição vem buscando fazer no Congresso. E o mais importante, a meu ver, um fato histórico que hoje ocorre, é que essa pauta passará a ter um acompanhamento desses movimentos e o apoio desses movimentos agora dentro do Congresso Nacional”, afirmou.

Também participaram do encontro os presidentes do PPS, deputado Roberto Freire; do DEM, senador Agripino Maia; do Solidariedade, deputado Paulo Pereira da Silva; do PV, José Luis Penna; Beto Albuquerque, representante do PSB; além do líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima; líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio. Os senadores Avaro Dias (PR), Flexa Ribeiro (PA), José Serra (SP) e Tasso Jereissati (CE) também marcaram presença.

Crime de responsabilidade

Aécio Neves confirmou que o PSDB encomendou pareceres jurídicos para averiguar se a presidente Dilma Rousseff cometeu crime de responsabilidade nas diferentes denúncias feitas pela imprensa e nas irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), como o uso de mecanismos fiscais para maquiar as contas do governo, o uso eleitoral dos Correios e também da Controladoria Geral da União (CGU), que teria adiado para depois das eleições a denúncia de pagamento de propinas pela empresa holandesa SBM OffShore em contratos da Petrobras.

“Estamos, sim, encomendando estudos jurídicos junto a alguns dos mais renomados juristas brasileiros para compreender se, dentre tantas denúncias, houve crime de responsabilidade cometido pela presidente da República que possa embasar um processo de abertura de investigação e, portanto, de impeachment”, disse Aécio Neves.




O presidente nacional do PSDB classificou o encontro com os movimentos como um aprofundamento dos laços entre a oposição e a sociedade.

“As oposições que atuam no Congresso Nacional estavam todas aqui representadas pelos seus dirigentes maiores e encontraram uma enorme sintonia com esse movimento que vem das ruas. Acho que esse é o casamento que o Brasil precisa para superar a corrupção e o desgoverno no qual a atual administração do PT mergulhou o Brasil e os brasileiros”, frisou Aécio Neves.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que esteve presente ao encontro, ouviu as reivindicações e considerou justo o apelo dos movimentos, destacando a importância de se definir uma agenda sólida, que possa atender ao anseio da sociedade.

ASSESSORIA
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.