Comunidades de terreiro são beneficiadas com ações sociais da PMJP


iemanja-fotao
A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) deu início na última quinta-feira (05), aos atendimentos às comunidades tradicionais e grupos específicos das comunidades de terreiro para a execução do plano de trabalho do CADÚNICO.
A primeira ação ocorreu em parceria com a Organização Não-Governamental “ONG de Mãe Lúcia”. Nos dias 5 e 6 de março, de 8 às 12 horas, aproximadamente cerca de duzentos e cinquenta famílias que fazem parte da comunidade tradicionais de terreiro do Valentina, foram inseridas in loco no CADÚNICO e no Programa da Bolsa Família.
Durante o ano de 2015 a 2016, a Gestão do CADÚNICO dos Programas Sociais do município terá como meta de um dos seus planos de trabalho a busca ativa para inserção das famílias dos grupos considerados tradicionais e específicos que são prioritários para a política da assistência social.
Cadastro Único (CADÚNICO) –  É um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa (per capita) ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Suas informações podem ser utilizadas pelos governos federal, estaduais e municipais para obter diagnóstico socioeconômico das famílias cadastradas, para desta forma, possibilitar a análise das suas principais necessidades.
O cadastramento das famílias no CADÚNICO permite identificar seu grau de vulnerabilidade. São consideradas questões como renda, condição de moradia, de acesso ao trabalho, à saúde e à educação.
Segundo a coordenadora da Proteção Básica, Cízia Romeu, a execução do plano de trabalho do CADÚNICO foi iniciada através do atendimento às comunidades tradicionais e grupos específicos, como as comunidades de terreiro.   ” Estamos garantindo direitos à segmentos historicamente excluídos, uma dívida social na qual a gestão municipal está prestando assistência social com todo respeito à diversidade sócio-cultural”, enfatizou.
Documentos Obrigatórios para o Cadastramento – Para o responsável familiar; CPF ou título de eleitor. Para os demais membros da família, qualquer documento de identificação, como a carteira de identidade, CPF, título de eleitor, certidão de casamento ou nascimento, carteira de trabalho.
Segundo Cízia Romeu, não é necessário fazer mais de um cadastro, porque o sistema identificará a duplicidade e isso pode prejudicar a família. Se o cadastro foi feito há muito tempo e a família ainda não foi beneficiada pelo Programa Bolsa Família, deve-se procurar o setor responsável pelo Programa da Bolsa Família (PBF) no município para atualizar os dados sempre que houver qualquer alteração na família, como renda familiar, entrada ou saída de pessoas na família, mudança de endereço, mudança de município e mudança de escola. Mesmo não havendo alteração na família, é necessário atualizar os dados cadastrais a cada dois anos.
MaisPB
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.