Longa produzido com apoio da UEPB estreia nas salas de cinema da PB



A produção do filme fez parte das ações de fomento à cultura e ao audiovisual promovidas pela UEPB.

Primeiro longa metragem rodado em Campina Grande, totalmente com apoio da UniversidadeEstadual da Paraíba (UEPB), “Tudo que Deus Criou”, do paraibano André da Costa Pinto, estreia nesta quinta-feira (19) nas salas de cinema da Paraíba. Aguardado com muita expectativa, o curta passa a ser exibido às 14h45 na Sala 1 do Cinesercla do Partage Shopping. O filme que abriu a cadeia produtiva da Paraíba e marca um momento novo que cinema vive, chega a Campina Grande depois de ter passado por diversas cidades brasileiras como Porto Alegre, Aracajú, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo.
A produção do filme fez parte das ações de fomento à cultura e ao audiovisual promovidas pela UEPB. O reitor Rangel Junior lembrou que vários curtas metragens receberam apoio da Universidade,contemplados através de editais de fomento a produção audiovisual. Além de incentivar a produção audiovisual, a Instituição também divulga o cinema através do Festival Audiovisual de Campina Grande - Comunicurtas UEPB.
“Tudo que Deus Criou” tem produção, direção e maior parte do elenco compostos por paraibanos. Entretanto, chama atenção pela presença de nomes conhecidos da televisão, como a veterana Maria Gladys e Guta Stresser (a Bebel de A Grande Família), a atriz Letícia Spiller e o ator Paulo Vespúcio.
Baseado em uma história real, a trama de “Tudo que Deus Criou” trata de temas polêmicos e delicados, como violência doméstica, exploração sexual, estupro, prostituição e homossexualidade. O filme conta a história do jovem Miguel Arcanjo, interpretado pelo estreante Paulo Philippe, que convive com a necessidade de sustentar a família de classe média baixa, dentre traumas e obstáculos.
Ele também se envolve em uma espécie de triângulo amoroso, formado por uma deficiente visual vivida pela atriz Letícia Spiller e por um vizinho, papel interpretado por Paulo Vespúcio. Como uma mulher cega, a atriz Letícia Spiller se reinventa e se coloca, com o filme, dentro de um outro patamar em sua carreira.
Finalizado em 2009 com um orçamento de R$ 150 mil, considerado muito baixo para o padrão de longas metragens no circuito nacional, “Tudo que Deus Criou” foi exibido e premiado em vários festivais do Brasil e no exterior. Agora chega as telas de cinema da Paraíba com distribuição independente.

Assessoria de Imprensa - UEPB
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.