Alckmin deve iniciar rodízio de água em março


Se o Cantareira não atingir a meta, restrição será anunciada logo em seguida, afirma governo

 O governo de Geraldo Alckmin (PSDB) definiu o fim de março como o prazo máximo para oficializar o rodízio de água em São Paulo. A gestão não admite que a política esteja em vigor apesar dos cortes de água já estarem ocorrendo, como revelou o iG.
O rodízio será adotado se o sistema Cantareira, o maior da Região da Metropolitana de São Paulo, não atingir um determinado nível, ainda não definido, até o fim de março.
Nesta sexta-feira (13), o Cantareira opera com 6,9% da sua capacidade, contabilizadas duas cotas do volume morto. Há outras duas disponíveis e não utilizadas, segundo o governo.
Comitê da Crise se reúne pela primeira vez
Nesta sexta-feira (13) o Comitê de Crise Hídrica, criado pelo governo tucano há dez dias, faz a sua primeira reunião. Alckmin, cuja presença não estava prevista, compareceu ao encontro, que contou com quatro secretários de Estado e seis prefeitos, inclusive da capital.
Os secretários de Estado de Recursos Hídricos, Benedito Braga, de Energia, João Carlos Meireles, e da Casa Civil, além do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) e do secretário municipal de governo, Chico Macena, participam da reunião.
A expectativa da gestão tucana é cobrar dos prefeitos o bom funcionamento dos equipamentos estaduais que estão nos municípios, como escolas e hospitais.
Último Segundo
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.