Central de Polícia: obras atrasadas


Prédio, no bairro do Geisel, em João Pessoa, permanece sem data de finalização aguardando apenas a construção de 4 celas.





Rizemberg Felipe
Poucos meses de completar dois anos de atraso, o prédio da Central de Polícia permanece sem data de finalização

















A previsão inicial da entrega da nova Central de Polícia, no bairro do Geisel, em João Pessoa, feita à época do anúncio das obras, era de que a conclusão seria em maio de 2013. A poucos meses de completar dois anos de atraso, o prédio permanece sem data de finalização, e a população aguarda a conclusão da construção de quatro celas para poder contar com o novo equipamento de segurança pública.
A parte estrutural da futura Central de Polícia já foi erguida e está em fase final de acabamento, porém ainda não há movimentação de delegados, escrivães, agentes de investigação e demais cargos que integram o departamento pessoal para o pleno funcionamento das delegacias.
Em material divulgado pela Secretaria de Estado da Comunicação Institucional, em maio do ano passado, a informação era de que os trabalhos se concentravam na implantação de 100 mil metros de calçamento, quando havia a expectativa de que o equipamento fosse entregue ainda no mesmo mês, devido ao prazo legal permitido pela legislação eleitoral, em função das Eleições 2014. O governador, em visita ao local no primeiro semestre do ano passado, reconheceu que as novas dependências são de fundamental importância para a população e para os policiais civis, já que a atual Central de Polícia, no bairro do Varadouro, tem mais de 50 anos e está imprópria em termos de segurança e de modernidade para o desenvolvimento dos serviços.
Conforme o projeto, a Central de Polícia terá seis blocos e 26 celas com capacidade para 46 presos provisórios. Nela funcionarão a Delegacia Geral de Polícia Civil, todas as delegacias distritais e especializadas de João Pessoa, como a de Homicídios, Roubos e Furtos, Repressão a Entorpecentes, entre outras, com exceção da Delegacia da Mulher. A Gerência Metropolitana de Polícia Civil também será sediada no novo prédio, onde ainda será instalado um núcleo de pessoas desaparecidas.
A construção foi possível graças à permuta entre o terreno que hoje abriga um shop- ping no bairro de Mangabeira, e o terreno do Geisel, onde funcionará a nova Central de Polícia. A permuta foi feita pelo governo do Estado, em 2011, após assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado entre o Estado, a Portal Administradora de Bens e Futura Administração de Imóveis com o Ministério Público da Paraíba (MPPB), por meio da Promotoria do Patrimônio Público de João Pessoa.
De acordo com a titular da Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan), Simone Cristina, como a execução da obra foi parte integrante do TAC, onde não era de responsabilidade do Estado, o órgão só tem a responsabilidade de avaliar a qualidade do serviço e o cumprimento do cronograma, mas não soube explicar as possíveis causas do atraso. “A construção está pronta, falta apenas a conclusão da carceragem, já que quatro celas estão em fase de acabamento. Estamos tomando as medidas cabíveis para dar celeridade ao processo para que a obra seja concluída”, garantiu.
REUNIÃO
Simone Cristina disse ainda que na próxima terça-feira irá se reunir com o empresário da Portal Administradora de Bens “para acertar a data da entrega”. “Agora eu não tenho previsão de data, somente após a reunião. Mas como restam apenas o acabamento de quatro celas, a conclusão é rápida. Já a questão da mobília é competência da Seds (Secretaria de Estado de Segurança e Defesa Social)”, afirmou.
O secretário da Seds, Cláudio Lima, informou, por meio da assessoria, que o mobiliário, tanto móveis, como equipamentos eletrônicos, para o pleno funcionamento das atividades, já foi adquirido e já está no local. Ele lembrou que o pátio também precisa ser concluído, já que o mesmo permanece no barro, quando o projeto prevê calçamento. Somente após esses reparos finais é que as delegacias devem ser transferidas para a nova Central de Polícia.
SEM RESPOSTA 
A reportagem entrou em contato com a direção da Portal Administradora de Bens, mas foi direcionada para o engenheiro responsável pela empresa, que pediu para que ligássemos para o setor de Marketing, no entanto, a responsável pelo setor afirmou que não poderia se posicionar a respeito do assunto e que a empresa não tinha assessoria de imprensa. O Jornal da Paraíba tentou entrar em contato novamente com o engenheiro, mas o telefone dele estava desligado. jP
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.