#portalbrejonews #noticia #brejonews

Livro em homenagem ao centenário de René Ribeiro é lançado nesta quarta na Fundaj

Pesquisa do mestre antropólogo sobre os terreiros representa ainda hoje um estudo clássico de uma etnografia de cultos afro-brasileiros, e que muitos pesquisadores o têm como exemplo de trabalho
Cidades | Em 11/11/14 às 11h13, atualizado em 11/11/14 às 13h00 | Por Redação
Divulgação
René Ribeiro
Em 2014 comemora-se o centenário de nascimento do mestre antropólogo René Ribeiro. Em sua homenagem será lançado nesta quarta-feira (12), às 15h, na Fundação Joaquim Nabuco, no Recife (PE), o livro 'René Ribeiro e a Antropologia Cultos Afro-Brasileiros'. A solenidade ocorrerá no auditório do Fundaj, Calouste Gulbenkian. 
O mestre em Antropologia René Ribeiro era pai do diretor-presidente do Sistema Correio de Comunicação, Roberto Cavalcanti. Era avô da diretora executiva do Sistema Correio, Beatriz Ribeiro, e dos empresários Robinho Cavalcanti e Alice Cavalcanti.  

Livro em homenagem ao centenário de René Ribeiro é lançado nesta quarta na Fundaj

Pesquisa do mestre antropólogo sobre os terreiros representa ainda hoje um estudo clássico de uma etnografia de cultos afro-brasileiros, e que muitos pesquisadores o têm como exemplo de trabalho
Cidades | Em 11/11/14 às 11h13, atualizado em 11/11/14 às 13h00 | Por Redação
Divulgação
René Ribeiro
Em 2014 comemora-se o centenário de nascimento do mestre antropólogo René Ribeiro. Em sua homenagem será lançado nesta quarta-feira (12), às 15h, na Fundação Joaquim Nabuco, no Recife (PE), o livro 'René Ribeiro e a Antropologia Cultos Afro-Brasileiros'. A solenidade ocorrerá no auditório do Fundaj, Calouste Gulbenkian. 
O mestre em Antropologia René Ribeiro era pai do diretor-presidente do Sistema Correio de Comunicação, Roberto Cavalcanti. Era avô da diretora executiva do Sistema Correio, Beatriz Ribeiro, e dos empresários Robinho Cavalcanti e Alice Cavalcanti.  
Leia mais Notícias do Portal Correio
Na ocasião, será realizada uma mesa-redonda sobre a obra literária, com participação do presidente da Fundaj, Fernando Freire; a coordenadora-geral do Centro de História Brasileira da Fundaj, Rita de Cássia Araújo; o diretor de Pesquisas Sociais da Fundaj, Luís Henrique Romani; o coordenador do Laboratório de Estudos Avançados de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de Pernambuco, Antônio Motta; o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sobre Etnicidade da UFPE, Renato Athias; e o diretor da Confederação Nacional da Indústria e filho de René Ribeiro, Roberto Cavalcanti Ribeiro.

A filha de René Ribeiro, a também antropóloga Celina Ribeiro Hutzler, explica na contracapa do livro que “ao homenagear René Ribeiro, na passagem de seu centenário de nascimento, escolhemos publicar novamente o seu trabalho: 'Cultos Afro-Brasileiros de Recife – Um Estudo de Ajustamento Social', que foi resultado de uma exaustiva pesquisa etnográfica em terreiros de Xangô no Recife e que deu a René Ribeiro o título de Mestre em Antropologia".

René Ribeiro foi orientado por Melville J. Herskovits, fundador e então chefe do Departamento de Antropologia na Universidade Northwerstern, em Chicago nos Estados Unidos, no ano de 1949. Essa pesquisa etnográfica sobre os terreiros representa ainda hoje um estudo clássico de uma etnografia de cultos afro-brasileiros, e que muitos pesquisadores o têm como exemplo de trabalho.

O doutor em Antropologia Social Roberto Motta, colocará uma maior ênfase, no seu capítulo neste livro, sobre o que representou e representa esse estudo para a antropologia em Pernambuco.

Também serão publicados dois conjuntos de imagens. O primeiro são as fotografias de Pierre Verger e Cecil Ayres, que a pedido de René Ribeiro visitam terreiros de Xangô no Recife. Pierre Verger acabara de chegar em Recife, em 1947, e recebeu um estímulo muito grande de Gilberto Freyre para acompanhar René Ribeiro na documentação fotográfica dos terreiros de Xangô no Recife.
Esse conjunto de imagens está acrescido de cinco fotografias que não foram publicadas na primeira edição do livro, de 1952, que fazem parte do acervo da Fundação Pierre Verger.
O segundo conjunto de fotografias faz referência a 3ª Reunião Brasileira de Antropologia, organizada por René Ribeiro, em 1958, objeto de reflexo do ensaio de Antônio Motta e Renato Athias.

Na ocasião, será realizada uma mesa-redonda sobre a obra literária, com participação do presidente da Fundaj, Fernando Freire; a coordenadora-geral do Centro de História Brasileira da Fundaj, Rita de Cássia Araújo; o diretor de Pesquisas Sociais da Fundaj, Luís Henrique Romani; o coordenador do Laboratório de Estudos Avançados de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de Pernambuco, Antônio Motta; o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sobre Etnicidade da UFPE, Renato Athias; e o diretor da Confederação Nacional da Indústria e filho de René Ribeiro, Roberto Cavalcanti Ribeiro.

A filha de René Ribeiro, a também antropóloga Celina Ribeiro Hutzler, explica na contracapa do livro que “ao homenagear René Ribeiro, na passagem de seu centenário de nascimento, escolhemos publicar novamente o seu trabalho: 'Cultos Afro-Brasileiros de Recife – Um Estudo de Ajustamento Social', que foi resultado de uma exaustiva pesquisa etnográfica em terreiros de Xangô no Recife e que deu a René Ribeiro o título de Mestre em Antropologia".

René Ribeiro foi orientado por Melville J. Herskovits, fundador e então chefe do Departamento de Antropologia na Universidade Northwerstern, em Chicago nos Estados Unidos, no ano de 1949. Essa pesquisa etnográfica sobre os terreiros representa ainda hoje um estudo clássico de uma etnografia de cultos afro-brasileiros, e que muitos pesquisadores o têm como exemplo de trabalho.

O doutor em Antropologia Social Roberto Motta, colocará uma maior ênfase, no seu capítulo neste livro, sobre o que representou e representa esse estudo para a antropologia em Pernambuco.

Também serão publicados dois conjuntos de imagens. O primeiro são as fotografias de Pierre Verger e Cecil Ayres, que a pedido de René Ribeiro visitam terreiros de Xangô no Recife. Pierre Verger acabara de chegar em Recife, em 1947, e recebeu um estímulo muito grande de Gilberto Freyre para acompanhar René Ribeiro na documentação fotográfica dos terreiros de Xangô no Recife.
Esse conjunto de imagens está acrescido de cinco fotografias que não foram publicadas na primeira edição do livro, de 1952, que fazem parte do acervo da Fundação Pierre Verger.
O segundo conjunto de fotografias faz referência a 3ª Reunião Brasileira de Antropologia, organizada por René Ribeiro, em 1958, objeto de reflexo do ensaio de Antônio Motta e Renato Athias.

Livro em homenagem ao centenário de René Ribeiro é lançado nesta quarta na Fundaj

Pesquisa do mestre antropólogo sobre os terreiros representa ainda hoje um estudo clássico de uma etnografia de cultos afro-brasileiros, e que muitos pesquisadores o têm como exemplo de trabalho
Cidades | Em 11/11/14 às 11h13, atualizado em 11/11/14 às 13h00 | Por Redação
Divulgação
René Ribeiro
Em 2014 comemora-se o centenário de nascimento do mestre antropólogo René Ribeiro. Em sua homenagem será lançado nesta quarta-feira (12), às 15h, na Fundação Joaquim Nabuco, no Recife (PE), o livro 'René Ribeiro e a Antropologia Cultos Afro-Brasileiros'. A solenidade ocorrerá no auditório do Fundaj, Calouste Gulbenkian. 
O mestre em Antropologia René Ribeiro era pai do diretor-presidente do Sistema Correio de Comunicação, Roberto Cavalcanti. Era avô da diretora executiva do Sistema Correio, Beatriz Ribeiro, e dos empresários Robinho Cavalcanti e Alice Cavalcanti.  


Na ocasião, será realizada uma mesa-redonda sobre a obra literária, com participação do presidente da Fundaj, Fernando Freire; a coordenadora-geral do Centro de História Brasileira da Fundaj, Rita de Cássia Araújo; o diretor de Pesquisas Sociais da Fundaj, Luís Henrique Romani; o coordenador do Laboratório de Estudos Avançados de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de Pernambuco, Antônio Motta; o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sobre Etnicidade da UFPE, Renato Athias; e o diretor da Confederação Nacional da Indústria e filho de René Ribeiro, Roberto Cavalcanti Ribeiro.

A filha de René Ribeiro, a também antropóloga Celina Ribeiro Hutzler, explica na contracapa do livro que “ao homenagear René Ribeiro, na passagem de seu centenário de nascimento, escolhemos publicar novamente o seu trabalho: 'Cultos Afro-Brasileiros de Recife – Um Estudo de Ajustamento Social', que foi resultado de uma exaustiva pesquisa etnográfica em terreiros de Xangô no Recife e que deu a René Ribeiro o título de Mestre em Antropologia".

René Ribeiro foi orientado por Melville J. Herskovits, fundador e então chefe do Departamento de Antropologia na Universidade Northwerstern, em Chicago nos Estados Unidos, no ano de 1949. Essa pesquisa etnográfica sobre os terreiros representa ainda hoje um estudo clássico de uma etnografia de cultos afro-brasileiros, e que muitos pesquisadores o têm como exemplo de trabalho.

O doutor em Antropologia Social Roberto Motta, colocará uma maior ênfase, no seu capítulo neste livro, sobre o que representou e representa esse estudo para a antropologia em Pernambuco.

Também serão publicados dois conjuntos de imagens. O primeiro são as fotografias de Pierre Verger e Cecil Ayres, que a pedido de René Ribeiro visitam terreiros de Xangô no Recife. Pierre Verger acabara de chegar em Recife, em 1947, e recebeu um estímulo muito grande de Gilberto Freyre para acompanhar René Ribeiro na documentação fotográfica dos terreiros de Xangô no Recife.
Esse conjunto de imagens está acrescido de cinco fotografias que não foram publicadas na primeira edição do livro, de 1952, que fazem parte do acervo da Fundação Pierre Verger.
O segundo conjunto de fotografias faz referência a 3ª Reunião Brasileira de Antropologia, organizada por René Ribeiro, em 1958, objeto de reflexo do ensaio de Antônio Motta e Renato Athias.Portal Correio
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.