Galeria pluvial despeja líquido escuro e de mau cheiro em mar da Capital

#portalbrejonews #noticia #brejonews


Semam diz que dejetos de galeria não eram de esgoto clandestino, mas não houve fiscalização

Nalva Figueiredo (Jornal Correio da Paraíba)
Nenhuma fiscalização foi realizada no local
Uma galeria pluvial despejou uma grande quantidade de água escura e fétida no mar de Tambaú, em João Pessoa, ontem. As pessoas que passeavam e trabalhavam na área não suportavam o odor típico de esgoto. Mas, o chefe de Fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), Waldir Farias, garantiu que não se tratava de resíduos fecais, mas apenas de restos de materiais orgânicos que se acumulam nas galerias pluviais. Mesmo reconhecendo que já houve lançamento de esgoto clandestino na praia, a Semam não mandou nenhuma fiscalização no local para constatar o motivo da fedentina. 

O mau cheiro chamou a atenção de pedestres que estavam nas proximidades da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur). De acordo com, Waldir Farias, da Semam, neste ano, apenas dois casos de esgoto clandestino foram registrados na região da orla marítima da Capital. Em 2013, 113 foram identificados, em toda a cidade, a maioria no Jardim cidade Universitária.
Na orla, restaurantes e hotéis foram os mais notificados em 2013. De acordo com a assessoria da Semam, os esgotos clandestinos se ligam às galerias de águas pluviais, fazendo com que os dejetos desaguem no mar. “Muitas vezes os esgotos estouram. Os dejetos  vão para as galerias pluviais e se acumulam, deixando um mau cheiro”, explicou Waldir Farias. O mar fica poluído e os seres vivos aquáticos morrem com a sujeira. 
De acordo com Valdir Farias, a água escura e de odor desagradável que saiu da galeria ontem, ocorreu porque a maré alta fecha as galerias com a areia da praia impedindo a passagem da água da chuva. O liquido tem a cor escura e o mau cheiro por causa da decomposição de matéria orgânica acumulada das águas que são jogadas, por exemplo, por lavadores de carros, fazendo com que bactérias e fungos se proliferem no local.
Leia matéria completa na edição desta terça-feira (18) do jornal Correio da Paraíba.  Portal Correio
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.