Detentos entram em confronto e matam presos em dois presídios de João Pessoa

#portalbrejonews #noticia #brejonews


Nesta quinta, um apenado Felipe Rodrigues de Sousa foi encontrado morto dentro de uma das celas do PB-1

Divulgação
Presídio PB-1
Detentos de dois presídios de João Pessoa realizaram um princípio de tumulto nessa quarta (19) e quinta (20) e provocaram a morte de dois presos. Os casos foram registrados nos presídios de Flósculo da Nóbrega (Roger) e Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1).
Na manhã desta quinta, um apenado Felipe Rodrigues de Sousa, 24 anos, foi encontrado morto dentro de uma das celas do PB-1, com perfurações provocadas por facadas no tórax e cabeça. Segundo o delegado de Homicídios, Pedro Ivo, o acusado do crime é Rafael Gutemberg da Silva, 25 anos, que confessou o crime e disse que matou o companheiro de cela por motivos pessoais.
“Rafael disse que o Felipe desrespeitou a mulher dele durante a visita. Usando uma faca artesanal, ele deu várias perfurações na vítima que morreu no local. Na cela, tinham 12 presos, mas apenas dois entraram em confronto”, afirmou o delegado.
Por volta das 17h dessa quarta, foi registrada uma confusão no Roger entre apenados dos pavilhões 5 e 6. O secretário de Administração Penitenciária da Paraíba, Walber Virgolino, informou que a briga iniciou após o remanejamento de presos destes pavilhões. Jonathan da Silva Laurentino, 22 anos, que cumpria pena por roubo, foi assassinado e teve o corpo esquartejado. Ele estava há duas semanas na penitenciária. 
Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado, os detentos dão duas versões para o crime: uma diz que um dos apenados teria provocado o outro após uma visita íntima da esposa. Já a segunda versão contada pelos presos é de que o apenado morto seria um “X-9” e estaria dedurando outros apenados.
O Grupo Penitenciário de Operações Especiais (Gpoe) retornou ao presídio para conter o tumulto. Walber Virgolino informou também que o Batalhão do Choque da Polícia Militar foi chamado para conter os presos e realizar uma operação para identificar o suspeito de matar o apenado. Portal Correio
Compartilhe no Google Plus
    Faça seu comentario pelo Gmail
    Faça seu comentario pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.